Projecto Aprendizagem para Todos

Plano Quinquenal

O Projecto Aprendizagem para Todos pretende no âmbito da sua implementação a  elabaração de um Plano Quinquenal Nacional da Avaliação que congrega um conjunto de eventos avaliativos num período de cinco anos, onde se enquadram a implementação de avaliações por amostragem da aprendizagem dos alunos da 4ª e 6ªclasses nas disciplinas de Português e Matemática, o desenvolvimento e implementação de uma segunda avaliação da capacidade de leitura nas classes iniciais (EGRA), o desenvolvimento de um estudo sobre a qualidade da prestação de serviços, a realização de uma pilotagem de exames nacionais de Português e Matemática na 6ª classe; e o desenho, análise de dados, implementação e disseminação de um estudo de avaliação do impacto do projecto.

Dada a complexidade técnico-científica em todos os processos de uma avaliação em larga escala, nomeadamente na análise estatística e pedagógica dos dados, com recursos as mais modernas teorias psicométricas.  Concernente às actividades de formação e capacitação dos técnicos, foi elaborado um plano de trabalho com o objectivo de a executar a formação à distância considerando as restrições de viagens impostas pela pandemia COVID-19. 

 

Actividades durantes os meses de Novembro e Dezembro de 2020 e Janeiro de 2021, visando:

 

Para atender aos objectivos foi desenvolvida uma proposta conceitual para a formação, considerando a necessidade de oferecer uma base sólida dos conceitos fundamentais da avaliação educacional e estejam alinhados com as futuras iniciativas de avaliação que serão levadas a cabo pelo Ministério da Educação de Angola.   

Vários conceitos e técnicas foram formulados e aperfeiçoados nas últimas décadas para permitir o nascimento dessa nova ciência. Em primeiro lugar, foi preciso adoptar conceitos universais sobre o que seria “aprendizagem”.  Adoptaram-se aqui conceitos que não são novos na educação, mas que foram aperfeiçoados e passaram a ser objectivamente medidos: o conceito de habilidades e competências cognitivas. É a partir dele que as matrizes de referências e as questões dos testes são elaboradas, bem como a interpretação pedagógica da escala de desempenho é desenvolvida. Em segundo lugar, foi necessário desenvolver teorias e técnicas de medição dessas habilidades e competências que permitissem comparações intertemporais e inter-espaciais. Nesse aspeto destacam-se os esforços desenvolvidos, sobretudo nos Estados Unidos, cujas origens estão relacionadas com os processos de admissão aos cursos superiores e que culminaram na chamada Teoria de Resposta ao Item – TRI. Assim a formação envolveria uma introdução aos principais conceitos da avaliação educacional, a partir de uma linguagem simples e acessível. 

A proposta conceitual foi apresentada e aprovada pelos  responsáveis da Componente 2 do PATI e envolveu a elaboração de eventos de formação de técnicos e professores sobre temáticas de avaliação educacional com um total de 35 horas de formação. As actividades de formação foram realizadas por meio da plataforma Zoom e pelo perfil do Facebook do PAT I. 

 

Ainda no âmbito da preparação do Plano Quinquenal foram realizadas as seguintes acções:

Capacitação em Avaliação em Larga Escala

Uma das actividades realizadas pela Componente 2 do PAT, a responsável pelo desenvolvimento do sistema de Avaliação das Aprendizagens dos alunos, foi o conjunto de Palestras Virtuais interativas, planificadas com o apoio de uma consultora do Banco Mundial, a Dra. Fatima Alves. Foram participantes técnicos e directores nacionais da estrutura central do Ministério da Educação, dos Gabinetes Provinciais e público em geral, num total de 10 horas de formação, por Video-conferência, cujos temas, a duração e a realização são:

Tema

Duração

Data de realização

Tipos e Potencialidades das Avaliações Educacionais

2h00

19/11

Teoria da Resposta ao Item e Escala Pedagógica

2h00

24/11

Construção de Itens cognitivos

2h00

1/12

Revisão da TRI e Importância dos protocolos de aplicação

2h00

08/12

Análise dos resultados das avaliações

2h00

15/12

Foram convidados para preletores os Srs: José Francisco Soares, João Pedro Azevedo, Ximena Duenas, Huong Le, Davide Ruscelli, Ruben Klein e Leandro Marino, especialistas com grande experiência e com reconhecidos internacional, pelos seus aportes nas áreas das ciências para os quais foram convidados a dissertar e prestam consultoria no Banco Mundial Unesco e outras organizações Internacionais. 

Os seminários foram divulgados com antecedência e os participantes faziam as inscrições para cada seminário. A divulgação, organização das inscrições, a organização da plataforma e a gravação dos seminários foram de responsabilidade dos técnicos da Componente 2 do PAT I. Em média, houve a inscrição de aproximadamente 80 pessoas para cada seminário. Entretanto, não houve a possibilidade de realizar o cruzamento entre os inscritos e aqueles que participaram dos seminários ao vivo. Em média, 50 participantes assistiam os seminários ao vivo. As aulas foram gravadas e os materiais foram disponibilizados nos  links:

A estratégia didáctica dos seminários baseou-se na definição dos principais conceitos a partir do uso de uma linguagem simples, buscando trazer elementos de exemplificação de contextos internacionais e estimulando o debate para a realidade angolana. As apresentações discutiam o conceito no uso prático e baseou-se nas mais recentes inovações metodológicas presentes no campo da avaliação educacional.

Considerando a importância da interação e engajamento dos participantes, os seminários tinham momentos de participação via chat e também de perguntas e respostas ao final da apresentação e a participação no chat foi bastante intensa, especialmente considerando que, para muitos, essa era a primeira vez que participavam de formação a distância, e sobre um tema tão actual como é a avaliação das aprendizagens em larga escala.c